quinta-feira, 23 de outubro de 2008

a opacidade das coisas



Sem tempo algum pra escrever, mas lendo muito. Muitas leituras teóricas pro curso, o último do Philip Roth, o trabalho de pesquisa. Nas madrugadas ou no café da livraria, uma pausa só pra poesia. O meu preferido, já há algum tempo, é Paulo Henriques Britto.


FISIOLOGIA DA COMPOSIÇÃO

I.

A opacidade das coisas
e os olhos serem só dois

A compulsão sem culpa
de dar sentido a tudo

O incômodo pejo
de ser só desejo

Por fim, o acaso
Sem o qual, nada.


[In Macau, Companhia das Letras, 2003]

5 comentários:

Petê disse...

My, que saudades dos seus escritos.

Beijo

Sinayoma disse...

Que saudade de passar por aqui!

beijos
Gabi

Anderson Lucarezi disse...

gosto mto desse poema.
acho q já é tempo de voltar a escrever, não? rs

Monica Messias disse...

Parastes de escrever, rapariga?

(aqui tá muito bom, mas to ardendo de saudades.....)

Beijão e um maravilhoso 2009 para nós!!!

Myriam Kazue disse...

Pois é, pessoal, a vida não está fácil, não sobra tempo.

2009 já chegou, quem sabe pintem novidades!

Também estou com saudade. De vcs e de escrever.