domingo, 15 de julho de 2007

O Pantera do Pan















É raro eu ligar minha tevê. Mas hoje foi uma exceção: Pan 2007 e ainda a final da Copa América, Brasil e Argentina. Não tem como não acompanhar.

Emocionei-me com o choro e o depoimento de Diogo Silva, lutador de taekwondo, que ganhou a única medalha de ouro do Brasil até agora. De origem humilde, negro, feições muito bonitas, tranças dreadlocks, estilo agressivo, ele dominou o peruano o tempo todo na luta final. Após receber a medalha de ouro, muito aplaudido, aproveitou para desabafar e protestar: "Recebo só R$ 600,00 da Confederação (Brasileira de Taekwondo, oriundos da Lei Piva). Mas esse dinheiro atrasa e só recebemos a cada três meses. Nesse ano, fiz de tudo por essa medalha de ouro. Desembolsei do meu próprio bolso cinco mil reais para competir e treinar na Europa. Acreditava que precisava fazer o possível e o impossível por essa medalha de ouro". Nas Olimpíadas de Atenas-2004, Diogo entrou para lutar vestindo uma luva dos Black Panthers (Panteras Negras, movimento de militantes negros norte-americanos do final da década de 60), mas o juiz não permitiu que a usasse. O objetivo era protestar contra a falta de apoio do esporte no país.

Todo ano de olímpiadas ou pan-americano é a mesma coisa: descobrem-se histórias como essa, mas nada muda. O Brasil continua sendo o país do futebol.

[Falando nisso, queimei minha língua: ao contrário do que eu pensava que aconteceria, a seleção do Dunga arrasou a Argentina. Vamos ter de agüentá-lo por mais um tempo.]

4 comentários:

Diego Barreto Ivo disse...

Acho que devem abolir qualquer forma de esporte no país, exceto futebol, jogos de tabuleiro e de cartas.

Crítico. disse...

¬¬

E dá-lhe Dunga!

=/

Phillip disse...

Mais uma vez o Brasil ganha da Argentina. Reparem o Brasil só consegue ganhar de 2 times: Aregentina e Chile. Dos outros perde...

Qto ao Diogo do taekwondo, foi a medalha da superação! Parabéns pra ele!!

osrevni disse...

Oi Myriam,

Fiquei muito, muito feliz com o seu comentário! Adoro quando as pessoas me entendem, o que é tão raro... Muito obrigado, de coração!

Beijos pra você. E sim, acho que nós somos todos uns masoquistas inveterados. Todos os meus colegas de faculdade já têm dinheiro pra viajar quando quiserem. Só eu insisto nessa bobagem de escrever.